quinta-feira, 29 de outubro de 2009

As relações de tempo e espaço escolares

Não é de hoje que esse tema preenche meu trabalho diário com dúvidas e inquietações. Afinal, eu já comecei minha LUDocência tendo de dividir espaços com outros dois professores de Educação Física no mesmo período, tendo de encontrar maneiras outras de considerar os conhecimentos e informações que minha prática docente intencionava quando me era negado o direito de usar este ou aquele instrumento pedagógico (inclusos os materiais). Ainda no ano passado, passei pelas aulas "a prestação": começávamos a aula até trinta minutos, os alunos saíam para o intervalo e retornavam para mais vinte minutos, os quais invariavelmente aconteciam dentro da sala pois na entrada da turma, outras saíam para seu próprio intervalo.

Aí a gente também considera a quadra descoberta na qual o sol das 10h da manhã é um abuso contra a saúde de todos nestes tempos de altos índices de radiação. Sem falar na chuva, impiedoso adversário de uma imensa quantidade de professores preocupados em se planejar e ainda mais preocupados em ter cartas na manga para preencher o vazio de atividades em uma sala cheia de alunos inquietos pela negativa atmosférica que não lhes permitiu um momento de exploração motora dentro da imensidão estática das salas fechadas, apertadas e abarrotadas de gente.

As salas de aula são o que há de mais ultrapassado e inconcebível na escola atual. Por que sentar-se em fileiras, um atrás do outro? Qual a vantagem em fazer isso quando tanto se discute na superação dos modelos de classificação, ordem e disciplina antes vigentes? Eu anseio por salas ambiente para cada disciplina (e quero a minha também, assim como uma quadra coberta), alunos sentados em U, todos lado a lado e não olhando para nuca do outro, não encostados na parede e sim reunidos em trabalhos de pesquisa, sugestão e recriação daquilo que trazem para dentro da escola.

Lousas decentes, que sejam ainda os quadros negros, brancos ou lousas digitais, mas que lá estejam e possam ser bem utilizadas. Janelas amplas que não excluam o exterior do que se conversa lá dentro e ainda assim sejam menos interessantes. Cadeiras confortáveis, mesas ajustadas aos tamanhos dos alunos, armários onde eles possam guardar e retirar seus materiais sem precisar transportá-los todos os dias para casa, onde o esquecimento se abate sobre qualquer um. Laboratórios de ciências, salas de leitura, bibliotecas, salas de informática ativas e em funcionamento, salas de vídeo, refeitórios, piscinas, campos gramados, campos de areia, vestiários... Escolas de tempo integral, com um currículo comum e períodos de opção individual de acordo com as preferências de cada aluno (modalidades esportivas, artes, música, dança, jogos, línguas, leitura, escrita, cinema)...

Quando é que será assim? Talvez nunca, talvez já o seja em alguns lugares privilegiados e de acesso restrito, tanto social quando financeiramente. A verdade é que dificilmente será interessante para aqueles que estão à frente das políticas públicas oferecer uma educação verdadeira no sentido viver a cultura como um todo, tanto a sua individual como a coletivamente construída ao longo dos tempos. Ter escolas com tempo de ensinar e condições de trabalho sempre será perigoso. Vejo eu mesmo tornando-me subversivo!

Abraços a todos! Se visitarem, comentem!
Hugs for everybody! If you came to visit my blog, please leave a message!
(tenho visitantes de outros países, minha gente! Deem uma olhada no mapinha ali do lado direito e saibam um pouco dos acessos e origens que são caminhos para o LUDocência!)

3 comentários:

  1. Já que é para comentar, cá estou. Não faço parte do rol de profissionais da Educação, mas a minha vasta experiência como estudante me faz concordar com você em número, gênero e grau. Tive sorte de ter aproveitado, nem que fosse um pouco, de uma sala temática e vejo que o rendimento era absolutamente satisfatório - muito melhor do que aquelas velhas aulas com retroprojetores e professores pedindo para que as dúvidas dos alunos fosse sanada após a "explicação" da matéria. Ideal, com certeza. Talvez até utópico. Mas quem sabe levantando essa bandeira aqui, na sua pequena escola, você não consiga mobilizar pessoas do país inteiro?

    ResponderExcluir
  2. Ahhh... mas é duro, tem tanta gente cortando o barato de quem quer transformar a maneira de trabalhar na escola! Um dia quero abrir uma pra mim, lá eu poderei ser 100% educador do jeito que eu quero e não amarrado no tronco para tomar chibatada na maior parte do tempo. Aulas na rede estadual trazem benefícios e alegrias pequenas, mas é tortura voluntária durante quase a semana inteira.

    ResponderExcluir
  3. Just want to say what a great blog you got here!
    I've been around for quite a lot of time, but finally decided to show my appreciation of your work!

    Thumbs up, and keep it going!

    Cheers
    Christian, iwspo.net

    ResponderExcluir

Ficarei feliz em ler sua opinião, seu comentário ou sua reclamação a respeito do meu post! Responderei assim que for possível e aqui mesmo nos comentários. Obrigado por participar e ajudar a construir a LUDocência!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...